Femininas sim, mas cristãs também (parte VI)





Baseado no livro “Pense Biblicamente – Recuperando a visão cristã de mundo”, autor Dr. John Macarthur (Editora: Hagnos – 2005).

9. SENDO PRUDENTE

“Abre a sua boca com sabedoria, e o ensino da benevolência está na sua língua”. (Pv 31.26)

O princípio da prudência – isto é, demonstrando sabedoria e levando em conta cuidadosamente as possíveis consequências – se referem especificamente ao uso de sua língua.

O discurso da mulher digna exibe bom juízo e discrição (Cl 4.6) mais que ser a habilidade agressiva ou dominadora, gentileza (Pv 15.1) e compaixão caracterizam suas palavras (Pv 25.1), ela possui a habilidade para guardar confidencias (Pv 11.13). A honestidade é evidente em seus relacionamentos com o próximo (Ef 4.15), e ela percebe que o que ela medita, manifesta-se em seu discurso (Sl 19.14; Lc 6.45).

Antes de falar, ela pergunta a si mesma sobre questões que irão demonstrar que a atitude de Provérbios 31.26 (“Abre a sua boca com sabedoria, e o ensino da benevolência está na sua língua”) caracterize suas conversas.

Então, antes de tudo ela se pergunta:

- Isso é bondoso?
- Isso é necessário?
- Isso é verdade?
- Isso é fofoca?
- Estou defendendo minha própria opinião em vez de ouvir a outra pessoa?

Uma demonstração de encorajamento inspira a outros com coragem, espírito e esperança renovados. A coragem valoriza pelo que elas são mais do que pelo que elas fazem. Uma centena de ações pode gerar encorajamento a outros, como por exemplo:

- A entrega de bilhetes e de pequenos presentes em tempos inesperados.
- Fazer comentários sobre qualidades de caráter desejáveis (pontualidade, boa atitude, tolerância, etc)
- Oferecendo propostas especificas e orientadas pelo encorajamento.
- Aceitando e elogiando um trabalho bem feito.
- Dando suporte para alguém que está magoado.
- Escolhendo usar a confrontação de maneira apropriada (Mt 18.15-19) mais do que usar uma forma “cristã” de repreender alguém.

A mulher digna cultiva segurança calma e positiva, sabendo que o encorajamento não tem sucesso em uma atmosfera negativa. Ela percebe que o desenvolvimento dessas qualidades de caráter toma tempo e não antecipa recompensa (Lc 6.30,31; 1 Tm 6.17-19).

10. SENDO AMÁVEL

“Levantam-se seus filhos, e lhe chamam bem-aventurada, como também seu marido, que a louva, dizendo: Muitas mulheres têm procedido virtuosamente, mas tu a todas sobrepujas.” (Pv 31.28,29)

O sentimento de benevolência que se deveria possuir com relação a outra pessoa envolve intenso amor por outros, incluindo seu marido, filhos, amigos e demais pessoas de seu relacionamento, somado a um constante compromisso com Deus. A mulher digna demonstra uma forte ligação com os demais.

É acessível para outros e assume o sério compromisso de aplicar em sua vida a recomendação bíblica quanto ao respeito com as pessoas (Tg 2.1-13).

Por Isabela Ferreira

Leia também a sétima parte deste artigo!

Compartilhe você também!
 

Envie seu comentário